DICAS PARA MAMÃES

Os principais tipos de parto e como ocorrem

/
2 0
tipos de parto e como ocorrem
Tempo de leitura: 5 min

Saber quais os tipos de parto adequados para o seu perfil é uma das principais missões depois que a mulher descobre que está grávida. Para identificar qual é o ideal, o médico irá considerar alguns fatores, como saúde e até mesmo a idade da gestante.

Por se tratar de um momento tão aguardado, em que a ansiedade, a tensão, o medo do inesperado e, claro, a felicidade estarão mais intensos do que nunca, é imprescindível que o parto seja feito da maneira mais confortável possível. E essa definição de conforto varia de mãe para mãe. Afinal, cada mulher se sente bem de uma determinada forma. Por isso, nós reunimos informações importantes sobre os principais tipos de parto para que você consiga identificar o que mais te agrada.

Vamos lá?

Os principais tipos de parto e como ocorrem

Confira, agora, o nosso olhar sobre cada tipo de parto e as suas principais particularidades.

Parto normal

O primeiro e mais indicado dentre todos os tipos de parto é o normal. Como o próprio nome sugere, ele nada mais é do que a chegada do bebê de forma natural. Nesse caso, a participação da gestante é fundamental, já que, durante o pré-natal, ela recebe as orientações necessárias para impulsionar a saída do bebê na hora do parto.

Em alguns casos, devido à posição em que o bebê se encontra ou até mesmo pelo cansaço da mãe, a intervenção cirúrgica acaba sendo necessária. Dessa forma, o médico faz um pequeno corte em um dos lados da vagina, mas isso não desclassifica esse tipo de parto como normal.

Uma outra característica do parto normal é a rápida recuperação, se compararmos à cesariana. Isso não é uma surpresa, afinal de contas, o corpo da mulher é naturalmente preparado para realizar esse trabalho, o que também a permite ficar livre de quaisquer complicações como hematomas, infecções ou dores crônicas.

Alguns tipos de parto também são considerados normais, são eles:

  • parto natural;
  • parto de cócoras;
  • parto dentro d’água;
  • parto Leboyer.

Vamos falar mais sobre eles agora mesmo!

Parto natural

Para que um parto seja considerado natural, nenhuma intervenção, como cortes, anestesias e induções, pode ser feita. Afinal, nesse caso, o médico apenas faz o acompanhamento do parto – que depende dos movimentos feitos pela mãe e do tempo do bebê – para ajudar na saída da criança depois que a sua cabeça se aproxima do lado externo do corpo.

? Uma alternativa para aliviar as dores no parto natural é a aplicação de técnicas de respiração e relaxamento.

Parto de cócoras

A única coisa que difere o parto de cócoras do natural é a posição da mamãe na hora de dar a luz. No parto natural, a gestante fica deitada, com as pernas abertas e os joelhos posicionados para cima. Já o parto de cócoras permite que ela fique agachada, o que acaba acelerando o processo, visto que a própria gravidade estimula o bebê a sair.

? Fique atenta! O parto de cócoras só é indicado para mulheres que não possuem nenhuma complicação com pressão arterial e exige que o bebê esteja com a cabeça para baixo.

Parto dentro d’água

A principal característica desse tipo de parto é o fato da mãe dar à luz com os genitais cobertos d’água. Um outro ponto interessante é a forte presença do pai, que é previamente preparado para dar o suporte emocional para a  mamãe enquanto ela fica sentada na banheira esperando pelo grande momento.

Muitas pessoas têm dúvidas sobre a densidade e a temperatura da água na hora do parto. Bem… a temperatura mais indicada fica por volta de 36ºC, o que corresponde à média da temperatura corporal. Isso aumenta o estado de relaxamento da gestante e ajuda a controlar as dores durantes as contrações. Além de permitir que o bebê se sinta mais confortável, pois ele estará saindo de um ambiente líquido e morno para outro similar.

Cesárea ou cesariana

Ao contrário do parto normal, a cesárea é recomendada em casos que possuem quaisquer tipos de complicações relacionadas à gestação, à saúde da mãe ou ao próprio bebê.

Durante a cesárea, a gestante recebe a anestesia peridural. Nela, o remédio é aplicado ao redor do canal espinhal, por um cateter que fica nas costas. Após cortar sete camadas até localizar o útero, o médico alcança o bebê e o retira suavemente. Em seguida, a equipe remove a placenta e fecha o corte com pontos.

Por se tratar de uma cirurgia de grande porte, a dedicação, o zelo e a responsabilidade de ambas as partes devem ser ainda maiores. Pois as complicações e os riscos estão mais propensos a acontecer nesse tipo de parto.

Ao contrário do que muita gente pensa, a recuperação após uma cesariana é mais lenta do que em qualquer outro tipo de parto. Isso sem contar o fato de que a mãe sente dores ao se movimentar e até mesmo ao sorrir.

Qual é o tipo de parto ideal para você?

Agora, que você conhece os principais tipos de parto, precisamos te lembrar que, apesar da mamãe poder escolher o formato que mais lhe agrada, somente um profissional conseguirá avaliar se a sua escolha é realmente possível. Pois, como vimos, algumas manifestações patológicas podem mudar o rumo de qualquer gravidez. Por isso, é tão importante estar em dia com a sua saúde e a do bebê!

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a identificar os benefícios e os riscos de cada tipo de parto. Converse com o seu médico e esteja bem preparada para esse momento tão especial.

Quer se informar ainda mais? Dê uma olhadinha nas nossas dicas para escolher as primeiras roupinhas do seu bebê!

Até breve!

Tags
parto
Posts Relacionados
/

Saber quais os tipos de parto adequados para o seu perfil é uma das principais…

0 0
/

Saber quais os tipos de parto adequados para o seu perfil é uma das principais…

0 0
Leave a Reply

Your email address will not be published.